16 de fev 2018

Convênio do Arquivo Público prevê a digitalização de livros da Catedral

O prefeito Paulo Piau (MDB) assinou ontem convênio para a […]

O prefeito Paulo Piau (MDB) assinou ontem convênio para a digitalização dos livros de batismo, óbito e casamento da Catedral Metropolitana. O processo englobará o período de 1831 a 1950, acervo que contém a história de Uberaba, genealogia das famílias pioneiras e a história da instituição religiosa em Uberaba.

A superintendente do Arquivo Público, Marta Zednik,  explica que o convênio terá duração de um ano. Segundo ela, após a digitalização dos livros da Catedral, o material será transformado em e-books e disponibilizado na internet.

O pároco monsenhor Valmir Aparecido Ribeiro ressalta que antigamente havia uma vinculação entre a Igreja e o Estado. Com isso, as paróquias funcionavam como cartórios da época. “A Igreja Católica era chamada de religião oficial do Estado, porque ela oficializava atos que hoje são próprios do poder civil. Então, a Igreja sempre fez com muita preocupação e exatidão os assentamentos dos batizados, que acabaram se tornando como a certidão de nascimento, dos casamentos e dos óbitos”, relata.

O pároco salienta que a digitalização facilitará a pesquisa aos documentos, pois hoje o manuseio dos livros nem sempre é possível devido à situação física de alguns exemplares. “Não é uma preocupação somente religiosa. É uma preocupação civil. Como a Igreja era o grande cartório do império, a documentação tida como religiosa é reconhecida pelo civil e ainda hoje utilizada em muitos casos”, relata.

Prefeito Paulo Piau e monsenhor Valmir, com a superintendente do Arquivo Público, Marta Zednik, e o secretário de Governo Antônio Sebastião assinam o convênio

Fonte: jmonline.com.br

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Required fields are marked *

*

MENU