27 de Abr 2016

ZIKA: Primeiro balanço epidemiológico sobre vírus aponta mais de 90 mil casos suspeitos

Pela primeira vez, o Ministério da Saúde divulgou os dados com relação ao vírus Zika. Segundo o boletim epidemiológico, apresentado nesta terça-feira, de fevereiro até o dia 2 de abril, foram registrados mais de 91  mil casos suspeitos da doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. A região Sudeste é a que teve a maior quantidade de notificações, mais de 35 mil e 500 casos. A obrigatoriedade do registro de Zika começou em fevereiro deste ano, após determinação do ministério. A preocupação especial com a doença pode ser explicada devido à possível relação entre o vírus e a microcefalia.  Em todo o país, mais de sete mil e 500 gestantes estão sendo acompanhadas por apresentarem suspeitas da doença. O diretor de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, reforça que as grávidas devem tomar precauções ainda maiores devido à falta de conhecimento da relação entre Zika e à microcefalia:

“Nós não temos a possibilidade ainda de fazer estimativas de que proporção de gestantes com Zika vão ter alterações no sistema nervoso, anomalias congênitas. Não é possível trazer tranqüilidade nesse momento, mas também não acho conveniente fazer um alarde uma vez que não sabemos a proporção.”

Além de Zika, o ministério divulgou os dados sobre as outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Segundo o boletim, mais 800 mil casos suspeitos de dengue foram registrados.  140 mortes por dengue foram confirmadas, 307 seguem em investigação. Já sobre a chikungunya, foram registrados mais de 39 mil casos possíveis da doença, com 15 óbitos confirmados. Impedindo o nascimento do transmissor é possível se prevenir das três doenças. O ministro da Saúde, Marcelo Castro, sugere qual a melhor forma de fazer essa prevenção em casa:

“A nossa sugestão seria o ‘sábado da faxina’. Escolhendo um dia da semana, de sete em sete dias, você interrompe esse ciclo, você quebra o ciclo [de reprodução do Aedes]. Então, o que o Ministério da Saúde está recomendando é que você escolha um dia da semana, o dia que melhor lhe convier e dedique do seu tempo, 15 minutos.”

Para mais informações sobre dengue, chikungunya e Zika acesse o site: combateaedes.saude.gov.br

Reportagem: Raphael Costa
Fonte: agenciadoradio.com.br

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>