30 de Jan 2017

Primeiro mutirão contra a dengue será realizado no dia 4 de fevereiro

Nenhum comentário

Mutirões de limpeza em terrenos baldios para o combate ao mosquito Aedes aegypti começarão em fevereiro. Assim como em todos os anos, a atividade será realizada aos sábados nos bairros indicados pelos agentes de endemias. O primeiro mutirão será no dia 4 de fevereiro. De acordo com o diretor de Vigilância em Saúde, Nelson Ranieri, a escolha dos bairros que vão receber o mutirão será feita a partir do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa).

Com o resultado do levantamento, é realizado o trabalho de campo, com visitas domiciliares nos bairros indicados. Com essa ação, os próprios agentes apontam os bairros em que há necessidade de mutirão. O cronograma será elaborado a partir do apontamento de regiões onde existem muitos terrenos baldios e com entulho. “Ainda não começamos essa atividade, pois a nossa prioridade, no momento, é com as visitas domiciliares. O LIRAa mostrou-nos que os principais recipientes com focos do mosquito eram os depósitos primários, que estão dentro das residências, por isso a nossa preocupação inicial foi com as visitas nos bairros que apresentaram índice elevado de infestação”, explica Ranieri.

Outra ação é a cobertura com os motofogs, trabalho já iniciado na cidade e que a cada semana recebe um itinerário diferente. Os locais atendidos são definidos de acordo com o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti. Quando um local apresenta índice superior a 1%, ele já recebe o inseticida utilizado no combate ao mosquito. Entre os bairros que receberam a visita do motofog na semana passada, estão áreas de médio risco, com índices de 3,5% e 3,6%.

“Um trabalho que também estamos realizando são os chamados bloqueios de transmissão. Quando é identificado um caso suspeito de dengue na região e confirmado, é informado ao Departamento de Zoonoses, que promoverá um trabalho na residência e região, na tentativa de eliminar possíveis mosquitos contaminados”, explica o diretor.

População precisa colaborar com a limpeza das casas, alerta PMU

Mesmo com as ações realizadas, a Prefeitura de Uberaba alerta que também precisa contar com ajuda da população, fazendo o trabalho de limpeza rotineira em casa e permitindo o acesso dos agentes. “Encontramos entraves na visitação, como casas fechadas. Em alguns bairros, 60% dos imóveis planejados para receber nossa visita estão fechados ou o morador recursa a entrada do agente. Em outras situações, realizamos o trabalho, repassamos as orientações, mas muitos não seguem e esperam pela visita do agente. O LIRAa mostrou-nos que os principais focos eram os objetos primários, dentro de residências, por isso precisamos contar com a ajuda da população”, explica o diretor Nelson Ranieri.

O diretor destaca que a população já sabe o que é preciso fazer e, agora, deve tomar a atitude de verificar e não permitir a existência desses materiais dentro de casa. “A gente percebe que as pessoas têm medo de ter escorpião ou cobra em casa, mas o mosquito, que é tão perigoso quanto a esses animais, às vezes não gera a mesma preocupação”, finaliza.

Fonte: jmonline.com.br

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>