26 de Set 2013

Campanha pretende reunir testemunhos sobre a missão de Bento XVI

Nenhum comentário

Uma campanha chamada “Lápis para Bento XVI” pretende reunir testemunhos de pessoas ao redor do mundo que foram influenciadas pelos escritos do Papa Emérito. Segundo os organizadores, que mantêm um site dedicado ao prefeito da Casa Pontifícia – e também secretário pessoal de Ratzinger – Dom Georg Ganswein, a ideia é reunir todas as mensagens em um livro e entregá-las, juntamente com uma caixa de lápis, a Bento XVI. O predecessor de Francisco sempre preferiu o grafite na hora de escrever seus textos.


Recentemente, correu o mundo a notícia da jovem ex-ateia que se converteu lendo os livros do Papa Emérito. Megan Hodder, então leitora ávida de Dawkins, Harris e Hitchens – os cães de caça do ateísmo militante -, esperava encontrar nos manuscritos de Ratzinger preconceitos e irracionalidades para fundamentar seu ateísmo. Feliz (e surpreendente) engano. “Ao contrário”, lembra a moça, “fui colocada diante de um Deus que era o Logos (…) o parâmetro de bondade e verdade objetiva que se expressa a Si mesmo e para o qual nossa razão se dirige e no qual ela se completa”01.


Quem também se viu estimulado a redescobrir a fé, através dos ensinamentos do Papa Bento, foi o jornalista Peter Seewald, seu biógrafo. Seewald teve a oportunidade de entrevistar o então Cardeal Joseph Ratzinger para o livro entrevista “O Sal da Terra”. Na época, o jornalista estava num processo de discernimento espiritual e foram as palavras de Ratzinger que lhe deram “o impulso necessário para dar o grande passo que faltava depois de inúmeros pequenos passos que já tinha dado”. O que mais lhe impactou foi a agudeza do pensamento de Bento XVI; “suas respostas, expostas com precisão e simplicidade, e sobretudo com uma lógica irrefutável, compendiavam de maneira fascinante o enorme tesouro da herança cristã”02.


Bento XVI já escreveu mais de 600 artigos e uma centena de livros – traduzidos em várias línguas – ora sobre teologia, ora sobre assuntos pastorais. Seu último grande trabalho foi a trilogia “Jesus de Nazaré”, na qual harmoniza a pesquisa histórica cristã com a Tradição da Igreja. Em 2008, a Editora Vaticano publicou o primeiro volume da Opera Omnia de Ratzinger, trazendo em seu escopo as principais contribuições do teólogo à discussão litúrgica.


A campanha “Lápis para Bento XVI” deseja expressar o amor, o respeito e a apreciação das centenas de pessoas que tiveram nele o auxílio necessário na busca pelo Senhor.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>